• pt
  • en
  • ar

Notícias

Categorias
Hospital
Maio 2017

Saben realiza bazar para financiar obras sociais

Evento acontece nos dias 10 e 11 de Maio na Igreja Bom Jesus

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) realiza nos dias 10 e 11 de Maio um bazar para arrecadar fundos para financiar as suas obras sociais. O dinheiro arrecadado durante o evento será revertido em doações para refugiados sírios que vivem em Curitiba e para entidades como o Espaço Fraterno Professora Neyda e o Lar Bom Caminho, entre outras.

O bazar, organizado pelo Conselho de Senhoras da Saben, terá cerca de 2 mil peças à venda, novos e seminovos, masculinas, femininas e infantis. Entre elas, roupas casuais, vestidos de festa, ternos, bolsas, bijuterias e óculos de sol, com preços a partir de R$ 10.

O bazar será realizado no salão paroquial da Igreja Bom Jesus, na Praça Rui Barbosa, 149. Na quarta-feira (10), estarãoá aberto das 11 às 19 horas e na quinta-feira (11), das 8 às 17 horas. Para saber mais sobre as atividades realizadas pela Saben, acesse www.saben.org.br.

Hospital
Novembro 2016

Saben lança em Foz do Iguaçu documentário “Árabes no Paraná”

Com patrocínio da Itaipu Binacional, filme aborda a imigração árabe na região da Tríplice Fronteira. Documentário será lançado nesta quinta (17)

O documentário “Árabes no Paraná – Foz do Iguaçu” será lançado nesta quinta-feira (17), às 18h30, no Hotel Bourbon (Av. das Cataratas, km 2,5, nº 2345), em Foz do Iguaçu. Escrito e dirigido pela cineasta Lu Rufalco (de “O Mundo Perdido de Kozák”), o curta conta a história da colônia árabe da Cidade das Cataratas, a segunda maior do Brasil e da América Latina.

Viabilizado por meio de patrocínio da Itaipu Binacional, com apoio da Prefeitura Municipal, da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu e do Hotel Bourbon, o documentário é uma iniciativa do Conselho de Senhoras da Sociedade Árabe de Beneficência (Saben), que empreende campanha pública para a construção do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná. O projeto prevê ainda outras edições do documentário em cidades de forte imigração árabe, como Curitiba e Paranaguá.


Localização privilegiada

A imigração árabe no Paraná começou há cerca de 140 anos, no contexto da perseguição pelo Império Turco Otomano, a escassez de terras e a visita do imperador D. Pedro II ao Oriente Médio, entre 1871 e 76.

“Sou neto dos primeiros imigrantes sírios nas Américas. Meu avô imigrou para o Brasil em 1892. Meu pai chegou em Foz em 1952, um dos primeiros libaneses da cidade. Por ser a Tríplice Fronteira, com gente de todas as etnias, ele se sentiu em casa. Tendo se estabelecido, o costume libanês é trazer a família e os parentes da cidade de origem”, conta Mohamad Ibrahim Barakat, diretor de assuntos internacionais da Secretaria de Turismo de Foz do Iguaçu, em entrevista ao documentário.

A localização geopolítica é uma das melhores do continente. “Em 1950, Foz do Iguaçu tinha uma área territorial imensa, chegava até Cascavel praticamente, mas não passava de 10 mil habitantes. Hoje, chegamos a 2 milhões, se considerarmos a Tríplice Fronteira. Por isso, acreditamos que seremos a sede do parlamento do Mercosul, até porque já temos a Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), que promove essa integração acadêmica. Isso sem falar das riquezas naturais e humanas: temos 80 etnias vivendo na região”, pontua Barakat.


Comunidade organizada

Com direção de Lu Rufalco, o documentário mostra como, ao longo dos anos, a comunidade árabe foi se organizando, afirmando a identidade de sua cultura milenar como presença concreta na realidade local. Escolas, clubes sociais e esportivos, associações beneficentes e templos religiosos foram criados, a culinária incorporada no dia a dia da cidade, a música e a dança encontrando espaço para aflorar.

“É a continuidade das tradições em outro tempo e espaço. Assim como o Rio Iguaçu lança com ímpeto suas águas em outro rio, tornando-o ainda mais forte, a imigração árabe fez do Paraná o destino de sua tradição e cultura, para tornar mais vibrante, mais diversa e feliz a alma brasileira”, considera Rached Traya, presidente da Saben.


Dia do Povo Muçulmano

O Dia do Povo Muçulmano foi instituído municipalmente no dia 12 de maio. “Nesta data, fazemos todos os anos eventos abertos ao público, com debates acadêmicos junto à sociedade, mostrando nossa cultura e o quanto a comunidade muçulmana está inserida no Brasil, no Paraná e em Foz do Iguaçu”, enfatiza a vereadora Anice Nagib Gazzaoui. Além disso, a Mesquita – inaugurada em 1985 – é um dos pontos turísticos da cidade, recebendo aproximadamente 5 mil turistas a cada mês.


Protagonismo feminino

A comunidade árabe iguaçuense se organiza ainda em grupos e associações femininas, como a União das Damas Libanesas e o Grupo Damas da Mesquita, que faz arrecadações para serem as entidades da cidade, em especial grupos de refugiados sírios que chegam a Foz.

Já a Associação Senhoras Fátima realiza trabalhos sociais e comemora as datas islâmicas junto das datas brasileiras, como a Páscoa e o Natal. “Nossa associação foi fundada para esclarecer que a mulher muçulmana tem igualdade com o homem, pode trabalhar, ser e fazer o que quiser. Nossa religião não restringe às mulheres a serem apenas mães e donas de casa”, ressalta Fatima Hussein Mansur.


Educação multicultural

A Escola Libanesa Brasileira e o Colégio Árabe Brasileiro foram criados para dar continuidade aos costumes e à cultura árabe na cidade. Para isso, recebem alunos de todos os credos e denominações, com lições diárias em três idiomas: português, inglês e árabe. As aulas de ensino religioso são opcionais. Na Unila, existe ainda um núcleo de estudos árabes, espaço acadêmico que mostra o engajamento da comunidade dentro da sociedade iguaçuense.



Ficha técnica

Roteiro e direção: Lu Rufalco
Produção executiva: Tania Silva
Produção local: Samira Omaire
Fotografia e câmera: Paulo Rigotti Junior
Edição: Farpa Gomes
Texto: Berenice Mendes
Locução: Rafael Camargo
Operação de áudio: Andrés Carvajal Proano e Ilson Alecrin
Imagens de arquivo: Vision Arts Produções
Realização: Conselho de Senhoras da Sociedade Árabe de Beneficência (Saben)


Assessoria de Imprensa

NQM Comunicação
André Nunes – andre@nqm.com.br
(41) 3254-6077 / 9288-6441

Hospital
Agosto 2016

Saben realiza bazar para financiar obras sociais

Evento acontece nos dias 11 e 12 de agosto na Igreja Bom Jesus

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) realiza nos dias 11 e 12 de agosto um bazar para arrecadar fundos para financiar as suas obras sociais. O dinheiro arrecadado durante o evento será revertido em doações para refugiados sírios que vivem em Curitiba e para entidades como o Espaço Fraterno Professora Neyda e o Lar Bom Caminho, entre outras.

O bazar, organizado pelo Conselho de Senhoras da Saben, terá cerca de 2 mil peças à venda, novos e seminovos, masculinas, femininas e infantis. Entre elas, roupas casuais, vestidos de festa, ternos, bolsas, bijuterias e óculos de sol, com preços a partir de R$ 20.

Novas doações serão recebidas até o dia 8 de agosto. Quem quiser colaborar deve entrar em contato pelo fone (41) 9589-1503.

O bazar será realizado no salão paroquial da Igreja Bom Jesus, na Praça Rui Barbosa, 149. Na quinta-feira (11), estará aberto das 11 às 19 horas e na sexta-feira (12), das 8 às 17 horas. Para saber mais sobre as atividades realizadas pela Saben, acesse www.saben.org.br.

Hospital
Junho 2016

Nota de esclarecimento da SABEN sobre a revogação da cessão de área para construção do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná

Cessão do terreno

Em meados de 2012, após negociações junto ao Governo do Estado do Paraná, a SABEN analisou várias áreas do patrimônio do Estado que poderiam ser utilizadas para receber o projeto hospitalar. Definida a área por parte do Estado, em dezembro de 2012, o projeto do executivo paranaense foi apreciado pela Assembleia Legislativa do Paraná, através de suas comissões (Obras e Comissão de Constituição e Justiça), e levada à votação em duas sessões plenárias, sendo aprovado e publicado no Diário Oficial do Estado em 02 de janeiro de 2013 (Lei nº 17.462).

No dia 15 de janeiro de 2013, em cerimônia no Palácio Iguaçu, o Governador Beto Richa, assinou o Termo de Cessão da área, na presença das mais expressivas lideranças da Comunidade Árabe do Estado.

Iniciamos o desenvolvimento do projeto, com a contratação de escritório de Arquitetura e com a colaboração de mais de cem pessoas – administradores, consultores, arquitetos, engenheiros, médicos, fisioterapeutas e enfermeiros.

Junto à Prefeitura realizamos várias reuniões para a obtenção do Decreto Municipal autorizando a construção de nosso hospital na área cedida. E, assim, o Prefeito Gustavo Fruet, em solenidade realizada na Prefeitura de Curitiba, concedeu-nos o Decreto.

Tínhamos à época um problema: a área cedida estava ocupada como pátio de carros apreendidos e nele estavam depositados centenas de veículos.

Várias gestões junto à Secretaria de Justiça, ao Ministério Público, à Secretaria de Segurança Pública entre outros órgãos foram realizadas, e após mais de um ano finalmente conseguimos a limpeza da área, a instalação de tapumes, a pintura de muros, a identificação da área, a execução do projeto topográfico, e o início do estudo de solo da área.

Ao final de 2014, chegou a informação da existência de uma demanda junto ao Ministério Público questionando a legalidade da cessão da área.

Revogação da cessão

Realizamos várias reuniões e gestões junto ao Ministério Público e à Procuradoria Geral do Estado defendendo nossa posição, e, sobretudo, pleiteando a manutenção da cessão, legalmente obtida através de votações realizadas pela ALEP.

Buscávamos a preservação de nosso sonho, de nossos investimentos aportados nos projetos. Buscávamos o respeito ao sonho de toda uma coletividade que unida por um ideal se sentia vilipendiada.

E, a despeito de todo o empenho, de toda a luta, o Governo do Estado, acatando a recomendação do Ministério Público, encaminhou o projeto de lei à Assembleia Legislativa (Projeto de Lei nº 599/2015 - Mensagem nº 047/2015) pedindo a revogação da cessão da área (Lei nº 18.578 de 02/10/2015).

Tal medida impôs à SABEN prejuízos financeiros com os trabalhos desenvolvidos, além de prejuízos à imagem da instituição, e trouxe à nossa Colônia Árabe o gosto da frustração, o gosto amargo da desilusão. Contudo, o maior prejuízo é deste povo, do nosso povo paranaense, que precisará aguardar mais um pouco para ter concretizado o sonho da construção do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná.

Tal ato nos provoca na medida em que mexe com o espírito guerreiro de um povo que não se curva à malfeitos; que não se cala às maledicências; que não se furta a seguir em frente.

Temos o DNA da luta - esse é o povo árabe: solidário, amigo, e, acima de tudo, empreendedor, lutador.

Esta revogação gera apenas o atraso de nosso sonho. Hoje, estamos em negociações visando encontrar áreas que possam albergar nosso projeto e nosso sonho.

Manter acesa a chama da esperança é nossa missão.

A Boa Terra chegará. Não serão os insensíveis que nos farão desistir. Nossos antepassados nos contam que quando vieram ao Brasil, nas longas viagens transoceânicas, nos navios, sonhavam a cada dia em chegar a Boa Terra. E ela chegou. Famílias foram criadas, sonhos concretizados.

Não serão tempestades que nos abalarão e nos farão desistir. O sonho será concretizado.

Hospital
Novembro 2015

Comunidade árabe se mobiliza para ajudar refugiados sírios em Curitiba

Bazar organizado pelo Conselho das Senhoras da Saben será realizado nesta quarta e quinta-feira

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) realiza nessa quarta e quinta-feira (18 e 19 de novembro) um bazar em favor dos refugiados sírios que estão vivendo em Curitiba. Segundo o Consulado da Síria, já são 179 sírios refugiados na cidade. O bazar, organizado pelo Conselho de Senhoras da Saben, terá parte do seu resultado revertido para o atendimento das necessidades dessa população.

Ao todo, serão mais de 800 itens colocados à venda por preços bastante acessíveis, entre roupas, calçados, bolsas e acessórios diversos. Entre os destaques estão os mais de 50 vestidos de festa, com preços a partir de R$ 80,00, e os três vestidos novos para noivas, por R$ 1.200,00 cada.

O bazar da Saben será realizado no salão paroquial da Igreja Bom Jesus, na Praça Rui Barbosa, nº 149. Os horários de funcionamento são das 11 às 18 horas na quarta-feira (18) e das 10 às 17 horas na quinta-feira (19).

Hospital
Janeiro 2015

Hospital da Beneficência Árabe: um sonho de gratidão ao Paraná

Um projeto ambicioso que fala diretamente ao coração de uma comunidade. Com este conceito, o Hospital da Beneficência Árabe do Paraná deixa de ser um sonho para se tornar uma realidade para a SABEN (Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná). As obras estão previstas para começar em 2016, mas o projeto arquitetônico já revela traços de um empreendimento que promete ser o primeiro hospital de excelência médica da região Sul e que, depois de inaugurado, pretende estar na seleta lista dos hospitais referência do Ministério da Saúde.

O Hospital da Beneficência Árabe do Paraná é fruto de uma iniciativa que vem mobilizando a comunidade árabe no Estado e concretiza um trabalho iniciado há pouco mais de 20 anos por jovens idealistas, filhos de imigrantes árabes, que juntos fundaram a SABEN e planejaram para Curitiba um hospital moderno que atendesse a todos do Estado, como forma de gratidão a receptividade que seus antepassados receberam. Todo este trabalho de resgate histórico da SABEN e da construção do hospital começou a ser impulsionado por um médico, Rached Hajar Traya, apaixonado pela sua profissão e que assumiu a presidência da entidade para transformá-la em modelo de atuação na área social e de filantropia. “Tornar realidade a construção de um hospital é uma das maiores vitórias que obtive ao longo da minha vida. É devolver ao Paraná tudo aquilo que o Estado deu aos nossos antepassados”, afirma, emocionado, Rached.

Desde 1993, quando foi fundada, a SABEN persegue o ideal de construir um hospital, nos mesmos moldes do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo. Entretanto, a ideia não avançou por conta de outras prioridades da entidade e das diretorias anteriores. “O sonho de ter um hospital é acalentado pela comunidade árabe há 20 anos”, relembra Rached. Ao assumir a presidência da Sociedade, ao final de 2011, ele achou que era chegada a hora de perseguir novamente a audaciosa iniciativa. Para isso, definiu com sua diretoria pela reestruturação da entidade, com a criação de novo estatuto e novas diretrizes, e pela união da comunidade árabe no Estado para que o projeto se concretizasse. “A coletividade árabe é bastante plural. Fazemos parte de um grande mosaico, e como todo mosaico, é necessário que as peças se unam num conjunto, de forma harmônica. Individualmente, os fragmentos do mosaico são apenas fragmentos, mas juntos eles formam uma bela peça, ímpar”, ressaltou.

Com a harmonia das correntes ideológicas e de orientações religiosas distintas em torno de um único projeto, Rached deu um novo passo: realizou estudos de mercado e as necessidades do Estado na área hospitalar, a partir de informações obtidas junto ao Ministério da Saúde, Secretaria da Saúde do Paraná, IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Em seguida, junto com uma equipe desenvolveu um plano de negócios detalhado para que o modelo desejado pudesse atender à necessidade real da população do Paraná.

Modernas instalações

O Hospital da Beneficência Árabe do Paraná será um dos mais modernos complexos hospitalares do Brasil. Focado em procedimentos e atendimentos de alta complexidade, o Hospital terá as seguintes especialidades: Cirurgia Geral, Cirurgia Bariátrica, Cirurgia Torácica, Neurocirurgia, Colo-Proctologia, Urologia, Nefrologia, Infectologia, Pneumologia, Ortopedia e Cardiologia. Haverá ainda uma área destinada para Transplantes (renal e hepático) e Oncologia (clínica e cirúrgica).

O centro cirúrgico será composto por 14 salas, com modernos equipamentos, além de uma sala de descanso para médicos, enfermeiros e instrumentadores. Também serão incorporados no centro cirúrgico laboratório de patologia, posto de enfermagem, secretaria do centro cirúrgico, entre outros espaços destinados as ações complementares à cirurgia. “Todo o desenho de fluxo está sendo discutido com os profissionais da área de enfermagem e há uma grande preocupação em se conceber ambientes amplos, para maior comodidade dos cirurgiões”, explicou Rached.

Ao todo, o Hospital terá 220 leitos divididos nos seis pavimentos do prédio, com apartamentos para atender o público de forma diferenciada. A UTI geral terá 55 leitos, 30 deles dedicados exclusivamente às enfermidades coronarianas. O projeto contempla, ainda, 15 vagas para o day hospital, ou seja, para pacientes de cirurgias menores, terapias hospitalares que não tem necessidade de internação. Para maior comodidade e integração das atividades, o hospital terá também consultórios médicos, centro de diagnósticos, serviço de check up corporativo e, numa segunda fase, uma unidade materno-infantil.

Sonho concretizado

Outro grande diferencial do Hospital é o Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), lançado em agosto deste ano, e a parceria com o Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, referência em medicina para todo o Brasil. “Neste momento, estamos construindo parcerias operacionais com o Sírio-Libanês, com orientações e aconselhamentos, o que, de certa forma, nos conduz a um cenário de parcerias institucionais futuras. Vislumbramos intercâmbios, compartilhamento de processos, enfim, a busca conjunta de soluções para desafios que certamente são e serão comuns a todos nós”, afirma Rached. Para ele, além de parceiro, o Hospital Sírio-Libanês tem sido a maior fonte de inspiração para o projeto paranaense. “Pautamos e estruturamos nosso projeto com base no que hospitais como o Sírio-Libanês, Hospital do Coração, Albert Einstein, por exemplo, promovem e praticam como modelo assistencial. Além disso, a história de formação e implantação destes hospitais é muito semelhante ao nosso projeto”, relata.

Com a definição do projeto e do modelo assistencial, o próximo passo, segundo Rached, é buscar doadores e financiadores para que o Hospital de Beneficência Árabe comece a sair do papel. O projeto já foi apresentado ao corpo diplomático árabe, em Brasília, e deverá ser apresentado aos países que já manifestaram interesse em participar da construção do hospital. “Temos uma grande expectativa em ter países árabes como patrocinadores, pois, existe uma tradição de ajuda destas nações a projetos como o nosso”, revelou.

“A ideia basilar deste empreendimento é a retribuição da comunidade árabe ao povo brasileiro pela forma acolhedora e fraterna com que receberam todos os povos ao longo da história. O nosso propósito será inspirado na seguinte frase - promover saúde de excelência com o jeito árabe de acolher”, finaliza Rached. Não menos este é o slogan Hospital da Beneficência Árabe do Paraná.

A história da SABEN

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (SABEN) começou a ser idealizada em 1991, a partir do sonho de três jovens médicos: Regina Maida Mansur, Rached Hajar Traya e Luiz Widolin. Descendentes de famílias de imigrantes árabes, os três vislumbraram na instituição um caminho para retribuir a acolhida que seus antepassados receberam quando chegaram ao Estado, no final do século XIX. Era o primeiro passo para um ousado projeto: a construção de um hospital, gerido e mantido pela comunidade árabe paranaense.

A inauguração oficial da SABEN ocorreu no dia 21 de outubro de 1993, com a eleição da Comissão Provisória formada por Rached Hajar Traya, Guilherme Mussi Rocha Campos, Rogerio Daud Kfouri, Nemer Hajar e Samir Abrao Abdo. Coube à Comissão elaborar o estatuto e dar posse, em 25 de maio de 1994, à primeira diretoria da Sociedade, instalada no Clube Sírio e Libanês de Curitiba. Lorys Jorge Marchesini foi a primeira presidente.

Já em 2011, ao assumir o comando da entidade, Rached, se viu frente a grandes desafios. “Quando assumimos, tínhamos que equacionar todas as pendências tributárias, resgatar o CNPJ original de 1994, reformular o estatuto e congregar a comunidade árabe do Estado em torno de um projeto audacioso e desafiador”, relembra Rached. Reunir todas as denominações árabes sob a mesma égide trouxe novamente a força e unidade a SABEN.

Outro grande desafio era buscar as titulações de Utilidade Pública nas esferas municipal, estadual e federal, o que foi concretizado ao longo deste ano. Para isso foi estabelecido um Conselho de Senhoras, responsável pelas ações sócias da entidade. Atualmente é coordenada pela ex-secretária do Estado da Cultura, Vera Mussi, além de Terezinha Abagge, na diretoria social, Ália Haddad, na diretoria cultural, e Luciane Heidi Hajar Traya, na diretoria filantrópica.

Com a mesma força, das senhoras árabes de São Paulo, o Sírio-Libanês foi erguido e aos poucos se tornou referência. Em sua primeira versão, quando estava prestes a ser inaugurado na década de 1940, o hospital foi confiscado pelo Ministério do Exército e transformado em escola de cadetes. Somente na década de 1960 voltou à sociedade mantenedora e, posteriormente, inaugurada com sua intenção original. Não fosse pela força da Associação Beneficente de Senhoras que envolveram o “primo paulistano”, não seria hoje a referência em medicina que veio a se tornar.

Rached Hajar Traya: de médico a gestor

Rached Hajar Traya faz parte da primeira geração da família, nascida no Brasil. Filho de imigrantes libaneses, que chegaram ao Paraná por volta da década de 50, Rached é conhecido nos ambientes em que atua pelo tom conciliador, que prega a união e a paz, e pela fala mansa. Essas características não traduzem passividade, mas firmeza e ética. Tem paixão pela família, pela Medicina e pelo Clube Atlético Paranaense, do qual é torcedor fanático.

Formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), ele não teve influência de ninguém para seguir a carreira de médico. “Sou médico por vocação mesmo”, costuma dizer aos mais próximos. Aos poucos conseguiu conciliares as atividades no consultório médico, com a de cirurgião no Hospital do Trabalhador, e com as de gestor – é presidente da SABEN e da Copamed, há 15 anos. “Descobri-me gestor aos poucos e gostei”, revela.

Qual seu histórico familiar e dentro da comunidade árabe?

Sou a primeira geração de minha família nascida no Brasil. Sou filho de imigrantes libaneses, que aqui chegaram à década de 1950. Minha orientação religiosa é o Islamismo e sempre estive ligado aos movimentos da comunidade árabe deste Estado.

Por que você escolheu a Medicina? Alguém te inspirou?

Minha escolha profissional não teve influência, pois sou o primeiro médico de minha família. Sou médico por vocação mesmo. E tenho muito orgulho da profissão que abracei.

Como foi o caminho entre médico a gestor?

Ser médico sempre foi minha prioridade. Porém, algumas oportunidades como gestor foram sendo apresentadas ao longo de minha carreira. Comecei como Médico Auditor, junto a Unimed Curitiba. Depois assumi a Coordenação do Setor de Auditoria e Perícia Médica, também exerci a função de Conselheiro Fiscal da Federação das Unimeds do Estado Paraná. Posteriormente, fui Vice-presidente da Unimed Curitiba, e membro do Conselho de Administração da Federação das Unimeds do Estado do Paraná e ainda participei do Conselho de Ética e Defesa Profissional da Unimed Curitiba, entre outras funções. Descobri-me gestor aos poucos e gostei.

Como você avalia a saúde no Brasil?

O modelo assistencial hoje existente é extremamente desafiador. O desenho do que é o SUS (Sistema Único de Saúde), prevê a assistência universal a todos os brasileiros, de forma indiscriminada. Vai além, prevê constitucionalmente que este seja um direito de todos e um dever do Estado. Sabemos que entre a intenção e o gesto, existe uma ponte a ser transposta. A difícil equação onde temos uma demanda infinita e um recurso finito é de difícil e quase impossível solução. Creio ser importante que o estado brasileiro crie uma agenda de revisão de conceitos. Está mais do que provada à ineficiência do modelo atual. Precisamos pluralizar a discussão, sem paixões, sem ideologias, sem partidarismo. Este é um processo em que todos ganham ou todos perdem.

Hospital
Julho 2014

Conselho de Senhoras visita o Hospital Sírio Libanês

No dia 22 de julho de 2014, a diretoria do Conselho de Senhoras visitou o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Estiveram presentes Paulo Chapchap, Superintendente de Estratégias Corporativas; Terezinha Pereira Abagge, Diretora Social da Saben; Patrícia Helen Suzigan, Gerente de Comunicação e Marketing; Vera Maria Haj Mussi Augusto, Diretora Coordenadora do Conselho de Senhoras da Saben; Vivian Abdalla Hannud , Presidente da Sociedade Beneficente de Senhoras; Cecilia Cutait, Diretora de Patrimônio; Luciane Riedi Hajar Traya, Diretora de Filantropia da Saben; Sandra Sarruf Chohfi, Diretora Social e de Eventos; Dulce A. C. Abdalla, 1ª Vice-Presidente; Marilena Razuk, Diretora Social e de Eventos; e Sérgio Zanetta, Superintendente de Filantropia.

Hospital
Setembro 2013

Presidente da SABEN apresenta a Michel Temer projeto do Hospital da Beneficência Àrabe do Paraná

Em 18 de setembro de 2013, o presidente da SABEN, Rached Hajar Traya, foi recebido em Brasília pelo vice-presidente da República, Michel Temer, e pelo deputado federal Marcelo Almeida (PMDB-PR).

Na ocasião, Rached apresentou o projeto do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná, e convidou Temer para a festa de lançamento do projeto, realizada no Clube Curitibano em 5 de outubro de 2013.

Hospital
Setembro 2013

SABEN empossa Conselho de Senhoras

A Sociedade Árabe Beneficente do Paraná (SABEN) deu posse ao Conselho de Senhoras, em solenidade realizada na Associação Médica do Paraná. O Conselho é presidido pela ex-secretária de Cultura, Vera Mussi, e formado pelas diretoras Luciane Hajar Traya, Terezinha Abagge e Alia Haddad. A secretária da Família e do Desenvolvimento Social do Paraná, Fernanda Richa, foi homenageada pela instituição.

Fernanda Richa enalteceu as integrantes do Conselho, bem como o trabalho que a SABEN vai realizar em prol da comunidade paranaense. “Apoiamos a iniciativa da SABEN desde o começo, pois sabemos da importância desse projeto para o Estado. Fico muito honrada com a homenagem e muito feliz em ver a energia dessas senhoras, que se propõem a uma causa tão nobre.", afirmou Fernanda.

O Conselho de Senhoras da SABEN tem como função organizar as ações filantrópicas e sociais da entidade, bem como apoiar os projetos ligados à sociedade como o Instituto de Ensino e Pesquisas e o Hospital da Beneficência Árabe do Paraná, que será lançado oficialmente no próximo dia 5 de outubro, em jantar no Clube Curitibano.

Hospital
Setembro 2013

SABEN comemora resultados de campanha de doação de agasalhos

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (SABEN) divulgou nessa semana o balanço da campanha de doação de agasalhos, lançada em julho deste ano. O slogan “Ajude a Esquentar o Inverno de Quem Precisa” comoveu muitos doadores, que puderam deixar o material em caixas de coleta, distribuídas em vários locais de Curitiba.

A entidade comemorou o sucesso dos resultados conquistados em parceria com o Açougue Domakoski, Café da Escada, Cia Athletica, Escola Anjo da Guarda, Escola Recanto Infantil, Greencred, Igreja Orotodoxa, Le Liban, Mania de Gato Pet Shop, Ortosorriso, Shopping Omar, Sociedade Muçulmana, Unimagem e Urocentro.

Ao todo, a campanha arrecadou 802 kg de roupas, calçados, roupas de cama e cobertores, além de 70 kg de alimentos, 48 talheres e 40 unidades de itens de higiene. As entidades beneficiadas foram a Associação Curitibana dos Orfãos da Aids, Albergue Municipal, Asilo São Vicente, Comunidade Marumbi, De Mãos Unidas, Igreja Presbiteriana, Instituto AMA, Lar dos Idosos Recanto do Tarumã, Lar o Bom Caminho e Toca de Assis.

Hospital
Setembro 2013

SABEN apresenta projeto de novo hospital em Foz do Iguaçu

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (SABEN) realiza um evento nesta quarta-feira (11), no Hotel Bourbon, em Foz do Iguaçu. A entidade planeja lançar um moderno hospital em Curitiba e vem apresentando o projeto para autoridades e membros da comunidade árabe em todo o Estado. Nesta ocasião, a diretoria do Conselho de Senhoras falará às colegas de Foz sobre a importância da beneficência na consolidação desta iniciativa. O conselho é responsável pelas ações sociais e filantrópicas da SABEN e tem como diretora e coordenadora a ex-secretária de estado da cultura, Vera Mussi. A diretoria social é comandada por Terezinha Abagge, a diretora cultural está sob os cuidados de Ália Haddad, e Luciane Heidi Hajar Traya é responsável pela diretoria filantrópica. Atualmente, a sociedade já tem a titulação de Entidade de Utilidade Pública nos âmbitos estadual e federal.

Hospital
Agosto 2013

Saben inicia atividades do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital de Beneficência Árabe do Paraná

A Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) inicia oficialmente nesta quinta-feira (22) as atividades do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital de Beneficência Árabe do Paraná. Antes mesmo do começo das obras do novo hospital, previstas para o final deste ano, a Saben começará a investir em pesquisas médicas, a exemplo do que já é feito pelo Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O início das atividades do novo instituto será marcado por uma palestra do Dr. Raul Cutait, fundador do Instituto de Ensino e Pesquisa do Sírio Libanês, que vem especialmente a Curitiba para falar sobre "A importância da filantropia na área de saúde", com foco em pesquisa e ensino.

Segundo o presidente da Saben, Dr. Rached Hajar Traya, a pesquisa é essencial para que o Hospital de Beneficência Árabe do Paraná seja um hospital de excelência e vanguarda. Por isso, as atividades do Instituto de Ensino e Pesquisa começam antes mesmo da construção do hospital. “O Instituto também permitirá a formação de novos talentos. Vamos criar um núcleo de Ensino para a formação de recursos humanos, sobretudo na área de serviços”, explica Traya.

Por meio do seu Instituto, o Hospital de Beneficência Árabe do Paraná também manterá uma agenda de intercâmbio com o Sírio Libanês na busca do mesmo padrão de excelência e referência em diversas áreas. “Esse Instituto vai qualificar o nosso hospital. Esse olhar para o futuro criará um novo pensamento crítico e nos apontará para novos paradigmas na área médico-hospitalar”, destaca o presidente da Saben.

O Instituto servirá, ainda, como base para captação de recursos para o novo hospital. “Os benefícios disso para Curitiba e o Paraná são imensuráveis! O hospital nasce e vai crescer com esta vocação, de estar sempre buscando a vanguarda médica que vem da pesquisa e do ensino de qualidade, focado na saúde dos pacientes”, completa Traya.

O evento de lançamento do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital de Beneficência Árabe do Paraná será realizado às 19h30 desta quinta-feira (22), no Hotel Bourbon, em Curitiba.

Hospital
Junho 2013

Vera Mussi é nomeada presidente do Conselho de Senhoras da Sociedade Árabe Beneficente

Na última semana a Sociedade Árabe Beneficente do Paraná (Saben) se reuniu no Hotel Bourbon para nomear a nova presidente do Conselho de Senhoras da entidade, Vera Mussi. Personalidade conhecida em Curitiba, já foi Secretária de Estado da Cultura, e se disse honrada com o convite e com a equipe com qual vai trabalhar. “É um grupo formado por mulheres muito fortes e eu tenho certeza que faremos um bom”, disse.

Vera vai trabalhar ao lado de Luciane Hajar Traya, presidente da área filantrópica do Conselho, que tem como objetivo é organizar as ações sociais da entidade. A Saben busca a certificação de Instituição de Utilidade Pública Federal. Atualmente, o status de utilidade pública da Saben já é reconhecido em âmbito municipal e estadual.

Dentre as obras beneficentes destaca-se o grande e moderno hospital, a ser construído no bairro Vila Isabel, na capital paranaense. O ambicioso projeto pretende trazer uma estrutura de excelência médica para Curitiba. Vera exaltou implantação do hospital e se disse muito feliz em fazer parte desta empreitada. “Parabenizo a Saben pelo projeto e disposição. Nessa vida é importante que tenhamos bandeiras, e não há bandeira mais nobre do que um hospital beneficente. Fico muito feliz em ver uma iniciativa desse porte como o nome da nossa comunidade”, afirmou.

Hospital
Maio 2013

Ministro da Saúde elogia projeto do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, conheceu no último dia 14 de maio o projeto do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná, iniciativa da Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben). Padilha recebeu em audiência o presidente da Saben, Dr. Rached Hajar Traya, junto com o deputado federal Marcelo Almeida, coordenador da Bancada Federal do Paraná no Congresso Nacional e um dos apoiadores do projeto. O ministro elogiou a iniciativa da Saben e adiantou que, de acordo com o descritivo, o Hospital da Beneficência Árabe do Paraná certamente terá potencial para ser um hospital de referência para o Ministério da Saúde.

Dr. Rached tem cumprido uma intensa agenda institucional para apresentação do projeto do novo hospital, com o objetivo de angariar apoio e dar visibilidade a essa importante iniciativa da Saben.

Hospital
Maio 2013

Vice-Prefeita de Curitiba parabeniza Saben pelo projeto do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná

Durante sua gestão como Prefeita em Exercício de Curitiba, a vice-prefeita da cidade, Miriam Gonçalves, fez questão de conhecer o projeto da Sociedade Árabe de Beneficência do Paraná (Saben) para a construção do Hospital da Beneficência Árabe do Paraná. Durante audiência realizada no último dia 18 de maio, Miriam recebeu o presidente da Saben, Dr. Rached Hajar Traya, para conhecer o memorial descritivo do projeto e revelou-se surpresa com as dimensões do futuro centro hospitalar.

Durante a audiência, o presidente da Saben pôde detalhar os planos e as especialidades médicas que estarão à disposição da população da cidade. Dr. Rached destacou que o hospital será referência em diversas áreas da medicina. Miriam Gonçalves parabenizou a Saben pela iniciativa e destacou a importância desse novo equipamento hospitalar para melhorar ainda mais o sistema de saúde complementar e de alta complexidade de Curitiba.

Dr. Rached tem cumprido uma intensa agenda institucional para apresentação do projeto do novo hospital, com o objetivo de angariar apoio e dar visibilidade a essa importante iniciativa da Saben.